Serviços Repórter Parintins

Arte circense de volta a Parintins com Ramito Circo

Arte circense de volta a Parintins com Ramito Circo Foto: Fernando Cardoso Notícia do dia 09/08/2018

Após rodar por várias cidades brasileiras, o Ramito Circo chegou a Parintins e se instalou na Praça dos Bois, lado azul. O espetáculo de estreia acontece na sexta-feira (10), a partir das 20h. Cada sessão dura aproximadamente duas horas com diversas atrações.

 

Segundo o circense Carlos Marcelo, o palhaço Tulypa, o circo terá sessões diárias para atender todos os públicos e deve permanecer na cidade por duas semanas.

 

“A nossa expectativa aqui em Parintins é excelente, permanecemos com o resgate do circo original e tradicional, afinal de contas é um público que é acostumado com grandes eventos e o Ramito Circo traz um espetáculo de peso e bem diferente com grandes atrações”, comentou Marcelo. 

 

Ramito tem capacidade para cerca de 600 pessoas, conta com uma equipe de mais de 30 integrantes, entre artistas, técnicos e pessoal de apoio (operários que atuam na desmontagem da estrutura, serviços gerais e cozinheiros).

 

O Circo será uma opção de lazer e diversão para os parintinenses, principalmente para a criançada que poderá se divertir com os palhaços Tulypa, Fuleragem, Fuleirinho, Romerito e personagens dos quadrinhos como: Homem de Ferro, o Incrível Huck e o Homem Aranha.

 

O Circo Ramito existe há três anos e faz parte de uma família legitimamente brasileira descendente do Circo Broadway, sediado em Belo Horizonte (MG).

 

Além dos palhaços, o circo conta com trapezistas, mágicos, acrobatas e malabaristas. O tradicional espetáculo circense traz novamente a Parintins o fantástico Globo da Morte, que ganhou no quadro “Se Vira nos Trinta” do Programa Domingão do Faustão da Rede Globo.

 

Na apresentação, motoqueiros profissionais realizam diversas acrobacias em motocicletas, um deles faz as manobras com os braços soltos do guidão do veículo.

 

O circo tem mais de 100 anos de tradição e hoje se encontra na quarta geração, inclusive, já percorreu várias cidades de diferentes estados, como Bahia, Tocantins, Pará e Amazonas.

 

Saudosismo

A magia do circo remete pessoas mais antigas a algo incrível, o qual faz elas viajarem nas lembranças da alegria dos palhaços, nas acrobacias dos malabares e na beleza das cores.

 

Um exemplo de lembrança é do aposentado José Firmino, 74, que nas décadas de 60 e 70, Parintins recebeu grande circos como: Circo Continental, Circo Lambari e Intercontinental, os quais eram montados na área do antigo Campo da Aviação (Conjunto Macurani) e terreno onde situa-se as ruinas da Casa da Cultura.

 

Relatos do autônomo Cleidson Souza, 62, relembram a arte dos contorcionistas, dos acrobatas e equilibristas, além das atrações perigosas nos trapézios e domadores de animais ferozes. O cidadão não esquece também das apresentações engraçadas dos palhaços que o faziam rir das mais divertidas situações, piadas e brincadeiras.

 

Há quase seis anos que Parintins não recebia um circo.  

 

Fernando Cardoso | Especial

Serviços Repórter Parintins