Museu da Amazônia inaugura opções diferenciadas de visitação

Tem atividade auto-guiada e a caminhada com monitor na floresta com a inclusão de novas paradas

Noticia Atualizada em 30/11/2017
Museu da Amazônia inaugura opções diferenciadas de visitação
Foto: Divulgação

A partir do dia 7 de dezembro o Museu da Amazônia (Musa) vai ter uma nova opção de passeio. Uma visita auto-guiada que inclui a recém-lançada exposição “Aturás, mandiocas, beijus”, a exposição “Sapos, peixes e musgos”, o orquidário, o bromeliário, o lago de vitórias-régias, trilha das aráceas e aquário de peixes amazônicos. O passeio vai custar 10 reais por pessoa. Sem a necessidade de um guia, o visitante vai ter tempo para apreciar cada atividade.

 

Já o passeio pelas trilhas da floresta com guia vai incluir duas novas atividades: o fungário e o laboratório experimental de borboletas. Os dois foram sucesso no Dia das Crianças e agora retornam como itens fixos da caminhada. Além disso, inclui as paradas tradicionais no meio da floresta: o serpentário, o Angelim-pedra (Hymenolobíum excelsum  Ducke), a exposição “Peixe e Gente”, o lago e os aquários. O valor do passeio vai passar a custar 20 reais por pessoa, uma forma de valorizar o trabalho dos monitores e a ampliação da trilha.

 

A subida na torre continua custando 20 reais. As três opções de visitação têm cobrança de meia-entrada para estudantes e moradores de Manaus, pelo Programa Nosso Musa. Para ter direito ao desconto é preciso apresentar comprovante de residência no nome do visitante e documento oficial com foto.

 

Saiba mais

Exposição Aturás, mandiocas, beijus: Inaugurada no dia 20 de novembro deste ano, é dedicada ao sistema agrícola tradicional do Rio Negro, registrado em 2010 pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como Patrimônio Cultural do Brasil.

 

Sapos, peixes e musgos: revela as aventuras de animais e plantas da Reserva Ducke nessa jornada entre a água e a terra. Composta por painéis explicativos e aquários com o puraquê (Electrophorus electricus), conhecido popularmente como peixe elétrico e a piramboia (Lepidosiren paradoxa).

 

Fungário: os fungos são importantes para a manutenção da floresta porque fazem a reciclagem de nutrientes. No fungário do Musa é possível observar como é o desenvolvimento de alguns fungos, inclusive as diferentes formas e cores.

 

Musa: museu vivo: O Musa ocupa 100 hectares da Reserva Florestal Adolpho Ducke, na zona Norte de Manaus. "O Musa se mantém atualmente exclusivamente com recursos da bilheteria. Por isso as novas opções têm como objetivo manter a manutenção e as atividades normais do Museu", explica o diretor do Musa Ennio Candotti.


Enquete

As perspectivas do parintinense para o fim de ano com relação a economia?

Aguarde...

Resultado
As perspectivas do parintinense para o fim de ano com relação a economia?
São ótimas

11 (18%)

São boas

14 (23%)

São razoáveis

37 (60%)

Total de 62 votos

Voltar

Galeria de Fotos

A notícia além do fato