Susam apresenta relatório de ações da Saúde na ALE-AM

Susam apresenta relatório de ações da Saúde na ALE-AM Foto: Divulgação Notícia do dia 09/04/2019

O secretário estadual de Saúde, Rodrigo Tobias, participou, nesta segunda-feira (08/04), na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), da apresentação de relatório das ações executadas pela Secretaria de Estado de Saúde (Susam), no 3º quadrimestre de 2018.  Durante a apresentação, na Comissão de Saúde da Casa Legislativa, Rodrigo Tobias ressaltou que, apesar de serem resultados da gestão anterior, o balanço apresentado é importante para a tomada de decisões da nova gestão.

 

Em maio, o secretário deverá retornar à ALE-AM para apresentar o relatório do primeiro quadrimestre de 2019, desta vez já com os resultados da nova gestão, que assumiu em janeiro. Um deles, o início do plano de ação que vai fazer com que o Hospital e Pronto-Socorro da Zona Norte (Delphina Aziz) passe a funcionar com 100% de sua capacidade instalada. A primeira fase iniciou em 1º de abril, quando os serviços de saúde da unidade passaram a ser geridos pelo Instituto Nacional de Desenvolvimento Social e Humano (INDSH)..

 

Ao mostrar os números da Saúde no Estado em 2018, o secretário falou sobre a necessidade de se redesenhar o setor, sob uma nova ótica, com base na inteligência e no planejamento. Em 2018, o  Amazonas investiu 21% da receita própria em saúde, quando a Constituição Federal determina o mínimo de 12%.  Essa tem sido a média dos últimos três anos.

 

Na visão do novo secretário, que assumiu a secretaria em 29 de março desse ano, o Estado gasta muito, mas não gasta bem os recursos de saúde. Além disso, a carga de investimento próprio no setor é muito alta –  83% – em relação à federal. “Precisamos chegar entre 60% e 40% pelo menos”, disse o secretário, ao defender a necessidade urgente de atualizar a pactuação com os municípios do interior, já que a última foi de 2005.

 

Números – Entre as ações que mais executaram recursos na Susam em 2018 está a remuneração de servidores, com R$ 904 milhões, seguida do pagamento de empresas terceirizadas – R$ 644 milhões. Na manutenção da rede, foram gastos R$ 531 milhões e R$ 254 milhões na assistência farmacêutica.

 

Com uma carreira focada no estudo da atenção primária, Rodrigo Tobias defendeu maior apoio aos municípios. “Precisamos co-financiar os municípios, porque é lá que está a resolutividade. Se o paciente não for tratado na rede básica, ele agudiza e vai precisar de atendimento na média e alta complexidade, no pronto-socorro”, explicou.

 

Conforme o relatório do ano passado, o Estado do Amazonas tem 66,14% de cobertura na atenção primária, acima da média nacional, que é de 65%. Mas isso graças aos esforços dos municípios, segundo Tobias. O novo secretário defendeu a telessaúde para alcançar o interior e frear a demanda por atendimento na capital. Disse ainda que a nova gestão vai brigar para implantar o projeto de regionalização da saúde, com a implantação dos polos de saúde no interior.

Tags: