Serviços Repórter Parintins

Projeto do MP-AM incentiva geração de emprego e renda no interior

Projeto do MP-AM incentiva geração de emprego e renda no interior Foto: Divulgação Notícia do dia 06/12/2018

O Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM) fez o lançamento oficial, na quarta-feira, 05 de dezembro, do Projeto “Amazônia Viva”. A solenidade foi realizada no auditório Carlos Alberto Bandeira de Araújo, na sede da Procuradoria Geral de Justiça. Além de Membros e servidores do MP-AM, estiveram presentes representantes de universidades, entidades públicas e da iniciativa privada, institutos técnicos, sociedade civil organizada e produtores rurais.

 

A Procuradora-Geral de Justiça Leda Mara Nascimento Albuquerque abriu a cerimônia. Compuseram a mesa de autoridades o Procurador da República Edmilson da Costa Barreiro Júnior, Chefe do Ministério Público Federal no Amazonas (MPF/AM), a Corregedora-Geral, Procuradora de Justiça Jussara Maria Pordeus e Silva, o secretário do Meio Ambiente do Amazonas, Marcelo Dutra, o Tenente Coronel Alexandre Avellar Leal, da Aeronáutica, o coordenador do curso de Psicologia Social da Ufam, Marcelo Gustavo Aguilar Calegari, a Senhora Maria José Marques, representando o Sebrae Amazonas, e os Promotores de Justiça Roberto Nogueira, Aurely Freitas, Marina Campos Maciel e Marlinda Dutra.


O Projeto Social, idealizado originalmente pelo Promotor de Justiça titular da Protomoria de Alvarães, Roberto Nogueira, é uma ferramenta social que visa encontrar soluções e alternativas para o problema da falta de oportunidades que vive grande parte das populações interioranas do Amazonas.


A ideia é estender para outros municípios a iniciativa desenvolvida em Alvarães, onde estão sendo identificadas e fomentadas oportunidades de geração de emprego e renda de forma sustentável, contando com a cooperação e sinergia entre o poder público, iniciativa privada e instituições como o Sebrae, Cetam e Afeam, a fim de capacitar pessoas e fomentar atividades econômicas ambientalmente corretas dentro das comunidades.

 

Para a Procuradora-Geral de Justiça, o setor primário precisa ser melhor explorado e atendido pelo estado do Amazonas. “O Ministério Público, como Instituição defensora dos direitos fundamentais e da dignidade da pessoa humana, deve ser também propulsor de ações como essa, de projetos que remetam à reflexão, no sentido de impulsionar políticas públicas que possam atender demandas urgentes da nossa sociedade. O setor primário merece essa atenção, temos hoje mais de 300 mil pessoas nesse segmento. Espero que o lançamento do Projeto Amazônia Viva venha atender aos reclames dessa população que vive no interior, muitas vezes em situação difícil por conta da falta de incentivo”, destacou a PGJ.

 

De acordo com o secretário estadual do Meio Ambiente, Marcelo Dutra, o projeto Amazônia Viva inova e serve de exemplo para o Amazonas e o Brasil. “O Ministério Público inova quando traz pro debate e traz visibilidade a essas pessoas que estão lá produzindo (no interior), de costas uns para os outros, longe do braço do poder público, dos órgãos de fomento, de padronização, que comecem a falar de capacitação, de treinamento, de cooperativismo, comecem a falar de acesso a mercado, de certificação”, afirmou o secretário.

 

Produtores rurais e empreendedores de municípios do interior participaram do evento. No hall do auditório, eles organizaram uma exposição com amostras de alguns produtos já comercializados, atividades que têm potencial para crescer e beneficiar mais gente, como a produção de móveis e utensílios fabricados com resíduos de madeira rústicas em Tefé e Maraã, a farinha de Uarini e alimentos orgânicos cultivados em Iranduba.

 

Segundo o idealizador do projeto, o evento foi um sucesso e já resultou em futuras ações para beneficiar as populações do interior. “O evento atendeu a todas as expectativas. O Secretário de Meio Ambiente do Estado nos convidou para uma reunião no dia 17 de dezembro, quando será assinado o Termo de Cooperação Técnica no qual o Governo do Estado do Amazonas doará uma salgadeira para o pirarucu, sendo assim possível levarmos adiante o projeto 'Pirarucu– O bacalhau do Amazonas', e seguiremos com a implantação desse piloto em Alvarães. O CETAM abrirá o curso para a Escola de Marcenaria em Alvarães, para que façamos os móveis, e o Projeto 'Farinha da região do Uarini' prossegue, sendo uma semente lançada e bem desenvolvida que, com certeza, terá bons frutos”, comemorou o Promotor de Justiça Roberto Nogueira.

Serviços Repórter Parintins