Professores da Seduc em Parintins publicam manifesto contra descaso do Governo do Estado

Foto: Marcondes Maciel Notícia do dia 08/02/2018

Um grupo de professores da rede estadual de educação em Parintins entregou uma carta aberta aos pais de alunos, professores, pedagogos e gestores para manifestar a indignação com relação ao descaso do Governo do Estado do Amazonas com a categoria que está há quatro anos acumulando perdas salariais o que chegam a 30%.

 

A carta foi apresentada para os professores e entregue para coordenadora da Seduc em Parintins, Odneia Garcia, durante a abertura do ano escolar, realizada na manhã de quinta-feira, 8 de fevereiro, no auditório do Colégio Batista.

 

“É preciso que se entenda que para que haja uma educação de qualidade, não basta um prédio, uma carteira e um quadro. Quem faz a escola são os alunos, pais, professores, pedagogos, merendeiros, serviços gerais, administrativos, vigilantes, gestores, e nesse âmbito todos devem se sentir satisfeitos”, diz um trecho do manifesto.

 

Leia a carta na íntegra:

 

CARTA PÚBLICA

 

BOM DIA SENHORES PAIS, PROFESSORES, PEDAGOGOS, GESTORES, COORDENADORA REGIONAL E DEMAIS SERVIDORES DA EDUCAÇÃO.

 

Nós estamos aqui com um propósito, VIVER COM DIGNIDADE. E essa luta vem de muito tempo, as conquistas que professores lá atrás conseguiram, nós todos estamos usufruindo, mas isso já não é suficiente, temos que continuar, para que possamos oferecer educação de qualidade tanto para seus filhos, quanto para os nossos.

 

No ano de 2013 alcançamos uma grande vitória com a aprovação e sanção da Lei nº 3.951/2013 atualizada em maio de 2014 através da Lei 4.042/2014, esta prevê em seu art. 39, o dia 1º de março de cada ano como data base para reajuste do vencimento e da remuneração dos servidores pelo plano de cargos, carreiras e remuneração, vitória esta que nunca se cumpriu. Desde então, todos os anos nossos ganhos não acompanham a inflação, se quer, a cesta básica. Chamamos aqui “ganhos” porque não consideramos um salário que dê dignidade para nossas famílias e é pela busca desta DIGNIDADE e VALORIZAÇÃO dos servidores da educação, que estamos aqui hoje, chamando a atenção da sociedade para que todos tomem ciência das inúmeras dificuldades pelas quais os profissionais da educação passam todos dias durante o processo educativo, que vão desde a condenação da estrutura física do prédio; falta de materiais de limpeza, de expediente, pedagógicos; a falta de merenda escolar.

 

Solicitamos aqui a sua atenção, seu apoio e principalmente, compreensão, pois nossas ações não estão sendo realizadas de forma irresponsável, são planejadas e estão de acordo com a maioria. É preciso que se entenda que para que haja uma educação de qualidade, não basta um prédio, uma carteira e um quadro, quem faz a escola são os alunos, pais, professores, pedagogos, merendeiros, serviços gerais, administrativos, vigilantes, gestores, e nesse âmbito todos devem se sentir satisfeitos.

 

Escolhemos a educação porque acreditamos que podemos contribuir para um mundo melhor, onde os indivíduos não sejam meros reprodutores do sistema de alienação, mas cidadãos livres para construir sua história. E é por acreditarmos nisso, que estamos lutando por DIGNIDADE e VALORIZAÇÃO.

 

Foram anos e anos de muitas lutas até se alcançar a vitória da aprovação e sanção da LEI DE PLANOS DE CARGOS, CARREIRA E REMUNERAÇÃO, porém estamos há 4 anos acumulando perdas salariais que já chegam a 30% de acordo com o relatório do DIEESE.

 

O não cumprimento desta, manifesta-se total desrespeito às leis, ao parlamento estadual, e principalmente aos profissionais em Educação do Estado do Amazonas, que lamentavelmente, ainda têm que lutar para que a Lei seja cumprida por aqueles que a aprovaram e sancionaram.

 

Acreditamos na conquista deste direito e de muitos outros que não têm o seu cumprimento, mas que merecem importância por parte das autoridades eleitas para trabalhar em prol de uma sociedade digna, que não se faz sem educação.

 

Parintins,08 de fevereiro de 2018

 

Assinam: Servidores em Educação do Amazonas

 

Marcondes Maciel | Repórter Parintins