Promotora de Justiça acredita em melhores condições de trabalho em 2018

Noticia Atualizada em 12/01/2018
Promotora de Justiça acredita em melhores condições de trabalho em 2018
Foto: Fernando Cardoso

Ao iniciar os trabalhos em 2018, a promotora de justiça Carolina Monteiro Chagas Maia da 3ª Promotoria de Justiça de Parintins (3ª PJP) garantiu que existem expectativas de melhores condições de trabalho por parte do Ministério Público do Estado (MPE) ao jurisdicionado do município.

 

“Desde que cheguei há dois anos em Parintins eu vejo nesse momento algo positivo. Quando cheguei aqui encontrei uma situação caótica, muitos processos paralisados, investigações de muitos anos sem andamento, especificamente extrajudiciais, processos que um promotor não pegava há muitos anos, não por culpa do promotor em si, mas pela falta de um titular na cidade”, comentou.

 

A agente ministerial adiantou que em 2018 todas as promotorias poderão contar com promotores titulares, além da provável contratação de dois servidores formados em direito para ajudar na atuação do MPE.

 

“Possivelmente nós teremos enfim aquilo que sempre venho argumentando e pedindo para a instituição, a qual deve lotar os três promotores titulares no município” declarou.

 

A promotora citou como exemplo, a ausência de um promotor titular na 2ª Promotoria para atuar de forma plena nos assuntos de cidadania e todos os serviços públicos do município.

 

“Sem um promotor titular, a atuação do Ministério Público fica prejudicada, mas para esse ano com a abertura do processo de remoção, a 2ª PJP poderá contar enfim com um titular”, comentou.

 

Carolina Monteiro explica que Parintins é considerado um município grande com mais de 100 mil habitantes e com problemas sociais graves, ressaltando ter uma população esclarecida e três promotores ainda é muito pouco para atuar nos mais diversos setores.

 

 

“Imagine a situação que me encontrei quando cheguei aqui, sozinha, depois com a doutora Eliana, só nós duas. Então eu vejo que 2018 demonstra ser um ano positivo para a sociedade de Parintins e para o Ministério Público”, ponderou.

 

Ações e Inquéritos

Ao comentar sobre as ações civis públicas e inquéritos investigativos, a promotora Carolina Monteiro adiantou que o MPE vai ingressar com novos pedidos a Justiça envolvendo a ex-administração e a atual por prática de supostas irregularidades.

 

Carolina Monteiro informou que processos e ações contra o atual gestor que estavam no GAJ (Gabinete do Procurador Geral de Justiça) foram encaminhados a Parintins para os atos de ações por improbidade, já que os atos criminais são atribuições do Procurador Geral de Justiça pelo prefeito dispor de fôro privilegiado.

 

Fernando Cardoso | Repórter Parintins


Enquete

Na sua opinião, o Carnailha 2018 deve ser realizado em que lugar?

Aguarde...

Resultado
Na sua opinião, o Carnailha 2018 deve ser realizado em que lugar?
Avenida Paraíba

64 (68%)

Bumbódromo

13 (14%)

Circuito Escorpião

17 (18%)

Total de 94 votos

Voltar

Galeria de Fotos

A notícia além do fato